quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Comic Con Berlin: Nós fomos!


Como todo nerd que se preza, nosso sonho sempre foi ir à Comic Con em San Diego. Mas estávamos aqui em Berlim quando aconteceu a Comic Con desse ano... como íamos perder?
Era nossa primeira vez em um evento desse tipo e não estávamos certos de como seriam os procedimentos para entrar, a alimentação, chegada e se seria child friendly.
Nós descobrimos tudinho e contamos aqui para vocês!

Afinal... o que tem lá?


Mulher Maravilha e Mulher gato se encontram e trocam figurinhas

Tudo o que pode deixar um nerd e fã de cosplay, seriados, filmes de fantasia, heróis, quadrinhos e ficção científica completamente louco!
Para começar, o clima já estava diferente na estação de trem, pois pegamos o S5 e nos sentamos ao lado de um personagem de mangá. Ao descermos em Messe Süd, cruzamos na plataforma com personagens de Star wars, guerreiros, cavaleiros e super heróis. 
Dentro do evento, tinha um "pega turista" antes da entrada com um fotógrafo cobrando 15 euros por foto com uma réplica do DeLorean (o carro de De Volta Para o Futuro), sendo que lá dentro era possível fazer a sua foto se graça! Então conselho de mãe que vale muito aqui: antes de saírem comprando qualquer coisa, dêem uma volta pois vocês podem achar bem mais barato (ou até gratuito) a alguns metros.
A feira estava dividida em dois galpões: um com os famosos de filmes e seriados e onde aconteciam os painéis e outra com produtos para fãs e os desenhistas, que executavam seus trabalhos na hora.
Para provar aos amigos que é verdade!


No dia que fomos, estavam o Christopher Loyd (De volta para o futuro), a Jean Grey (X-Men), o Tyrese (Walking Dead) entre outros. Com certeza, na Comic Con de San Diego tem mais famosos, mas sendo o grande fã de De Volta Para o Futuro que o Eduardo é... eu diria que ele zerou a vida ao ficar a poucos passos do Doc. 
Mas, sinceramente, para as crianças a diversão maior sem dúvidas são os cosplays pois a sensação é de que entramos em um mundo mágico de bruxas, guerreiros e heróis. Carolina foi em sua fantasia de Mulher Maravilha e fez questão de tirar foto com todas as princesas que encontrou. Pena que a princesa Jujuba de Hora de Aventura não era lá muito simpática pois ela ficou estática quando deu de cara com uma princesa que até a pele era cor-de-rosa. Ela não parava de seguir a moça, mas não conseguiu sua fotinho...quem sabe ano que vem?
A emoção de encontrar a princesa do Mario, que era uma fofa e foi cheia de simpatia com nossa pequena
A maioria dos cosplayers é extremamente simpático e acessível e na hora da foto eles encarnam os personagens, fazendo poses típicas, caretas...coisa de enlouquecer a criançada.
Além dos cosplayers circulando pra lá e pra cá, tem obviamente o concurso no palco principal, mas esse nós não conseguimos acompanhar pois crianças não são exatamente conhecidas por serem pacientes assistindo eventos. Pelo mesmo motivo, não assistimos nenhum painel.

Mas vale a pena ir com crianças?


Sem dúvidas! Apesar de pequena (3 anos), Carolina curtiu muito. Adorou fazer fotos, interagir com os personagens e mascotes, ver as coisas diferentes que haviam por lá, montar Lego no estande do Minecraft e, claro... GANHAR O SEU PRÓPRIO PIKACHU!
A emoção de quem acabou de capturar um Pikachu

Dicas práticas para famílias:


- Pode levar seu filho fantasiado sem medo. Eles vão amar e ainda vão fazer o maior sucesso mesmo no meio dos cosplayers mais perfeccionistas.
- É permitido entrar com seu próprio lanche e suco/água.
- Caso não queira carregar peso, tem dentro dos pavilhões estandes de alimentação.
- Defina com seu filho um valor máximo para ser gasto naquele dia. A variedade de brinquedos, roupas e bugigangas é enorme e sem um budget definido, você vai ficar louco... e pobre!
- A maioria dos cosplayer é acessível e aceita ser filmado e/ou fotografado, mas obviamente que é educado perguntar antes de sair clicando na cara da pessoa. Até a Carol fez sucesso com sua fantasia e foi clicada por lá (com nossa autorização prévia, claro).
- Tem MUITA coisa para ver, pode chegar cedo que é capaz do dia acabar e você ainda estar andando sem ter visto tudo com calma.
Super Carol e a força feminina!

Esse estande de Minecraft nos deu 40 minutos de diversão ininterrupta (e gratuita)

Como chegar?


Aqui em Berlim, o evento acontece em um centro de convenções chamado Messe Berlin. Ele fica na Messedamm 22 e é facilmente acessado por trem urbano. Existem duas estações próximas: Messe Süd e Messe Nord. A Messe Süd é mais próxima da entrada e você chega lá com o S5. A Messe Nord é um pouco mais distante (uns 10 min de caminhada) e você chega com Ring Bahn (S42 e S41).

Quanto custa?


O preço vai variar dependendo do dia que você vai, se você pretende participar de alguma sessão de fotos ou autógrafos ou de algum painel pago. Só consultando o site do evento para que você possa escolher o que gostaria (e pode bancar) participar.

Quantos joinhas da Carol merece esse passeio?



Nós adoramos o passeio e a Carol se divertiu tanto quanto nós. Não damos mais joinhas pois é um passeio meio caro, onde quase tudo envolvia algum gasto. Além disso, o evento estava bem organizado e interessante mas certamente muito menor do que as Comic Cons americanas e não havia nem um décimo da quantidade de famosos que geralmente aparece nesses eventos (como o de San Diego). Não havia também muitos estandes promocionais, o que é meio frustrante para as crianças que se encantam com essas lembrancinhas por mais banais que sejam. Nosso objetivo agora? COMIC CON DE SAN DIEGO, sem dúvidas!


E se você não assistiu o vídeo da visita ou não conhece o nosso canal, dá uma olhadinha aqui!

domingo, 16 de outubro de 2016

Aquário de Berlim


Você sabia que Berlim tem dois aquários? Um é o SeaLife, que fica na Alexanderplatz e tem um grande elevador transparente, e o outro é o aquário que fica no complexo do Zoológico. Nós já tínhamos visitado o SeaLife várias vezes mas não conhecíamos o outro, já que toda vez que íamos até o Zoo terminávamos supercansados e sem ânimo para mais um passeio.
E a primeira dica que dou é essa: caso vá conhecer o Zoo (que super vale a pena como já falamos em um dos vídeos), reserve um dia só para ele e outro para o aquário, principalmente se estiver com crianças.
A segunda dica é: se tiver que escolher um dos aquários, o do Zoo é muito maior e bem mais completo, além de ser mais barato!
Apesar de fazer parte do complexo do Zoo, a entrada é separada e você pode comprar o tiquete já na porta do aquário.
Passando a entrada, as crianças já enlouquecem pois tem um grande tanque aberto com carpas e as crianças podem tocá-las. Dá para imaginar a festa?
O primeiro andar todo é dedicado aos peixes e seres aquáticos. Tem cavalos marinhos, medusas, corais, tubarões e, claro, diversos peixes de todas as cores e tamanhos.


No segundo andar, estão os anfíbios e répteis. Tem cobras, crocodilos, tartarugas, camaleões. A criançada fica completamente fascinada pelas enormes cobras e pela parte onde você passa por uma ponte e consegue ver os crocodilos calmamente nadando embaixo. Não precisa ficar preocupado com segurança, pois as laterais da ponte são de fechadas por um vidro e não percebi nenhuma maneira de que alguma pequena criança "fujona" conseguisse passar e causar um acidente.
No terceiro andar estão os anfíbios, insetos e artrópodes. Interessante que existe uma colméia, onde você consegue mostrar às crianças as abelhas fabricando o mel. Também há uma enorme "fazenda de formigas" com túneis transparentes que atravessam o teto e vão até o formigueiro. Eu que sou adulta fiquei extasiada, imaginem os pequenos quando se deparam com isso?


Como Chegar

É bem fácil de chegar e fica próximo da estação de trêm, metrô e do ponto de ônibus.
Se vier de trem, você pode descer na estação Zoologischer Garten (S5, S7, S75, S9).
De metrô, você pode descer na estação Zoologischer Garten (U2, U9) ou na Kufüsterdamm (U1, U9).

Quanto custa?

Adultos: 15 
Crianças (4 a 15 anos): 7,50 
Família pequena (1 adulto com crianças): 25 
Família grande (2 adultos com crianças): 39 
Existe a possibilidade de comprar tickets combinados do aquário e do Zoo com desconto, mas eles tem que ser usados no mesmo dia. Se você está com crianças e quer ver as coisas com calma, não aconselho. Os dois são passeios divertidíssimos, mas cansativos, merecem um dia cada.

Dicas práticas para famílias:

Quando saímos com crianças, nos preocupamos com o que vão comer, se vai ter banheiro, se vai ter alimentação adequada...
Quanto à alimentação, duas boas notícias: a primeira é que existe um café dentro do aquário. E a outra é que você pode levar o seu próprio lanche se quiser e sentar em um dos bancos para comer enquanto observa os peixinhos.
Aqui na Alemanha, é preciso dar uma caixinha (geralmente 0,50€) cada vez que se vai ao banheiro, mas aqui não é necessário. Os banheiros eram limpos e gratuitos. 
Existe elevador para cadeirantes e famílias com carrinhos de bebê.
No térreo existe uma lojinha com bichinhos de pelúcia e animais de vidro (daqueles bibelôs meio com cara de vó) bem overpriced, tentar desviar o caminho ajuda a evitar birras na saída. ;-)

Quantos joinhas da Carol merece esse passeio?

 

Não sei se seus filhos são assim também, mas Carolina é LOUCA por aquários em geral. Então vocês imaginam que passamos horas divertidíssimas vendo os coloridos peixinhos ou conversando sobre como as abelhas fazem o mel. O fato do aquário ser barato, bem localizado e acessível são um super plus.



sábado, 8 de outubro de 2016

Memorial do Muro de Berlim

 
Mural que fica ao lado de onde antes estava o muro. 
Qual a primeira coisa que vem à mente quando alguém fala em Berlim? O muro! E apesar dele não existir mais como uma barreira física, uma parte dele foi preservada e encontra-se aberta para visitação. Não é possível sair dessa visita sem se emocionar com o quanto esse muro foi uma ferida aberta na Alemanha. E, justamente por ter feito parte de um passado ainda um muito recente, é possível encontrarmos por aqui pessoas que vivenciaram essa história. 
 Após a segunda guerra, a Alemanha permaneceria dividida até 1989 integrando blocos econômicos opostos. De um lado a Alemanha Ocidental e de outro a Alemanha Oriental (conhecida como DDR).
Após a divisão, muitos alemães do lado Oriental fugiram para o lado Ocidental até o ponto que, em 1961, a Alemanha Oriental tinha perdido 1/6 de sua população.
Nesse contexto, o governo da DDR começou em agosto do mesmo ano a construção do muro. No início, era apenas uma cerca de arame farpado e as pessoas ainda podiam observar o outro lado e conversar com seus amigos e familiares. No decorrer dos anos mais e mais barreiras foram construídas, já que as tentativas de fuga não foram interrompidas. Na época, os guardas da DDR tinham a ordem de impedir as fugas a qualquer custo, e, caso não fosse possível a captura, que atirassem para matar.
marcação no chão mostra o local onde passava
o muro
Pelo menos 138 pessoas morreram por causas relacionadas diretamente ao muro.
- 100 pessoas morreram tentando fugir.
- 30 não tinham intenção de fugir e foram alvejadas ou morreram por acidente
- 8 soldados da fronteira morreram em serviço enquanto tentavam evitar as fugas.
vista através do muro

Um dos casos que mais me emocionou foi o da sra Ida Siekmann. O muro de Berlim cruzava a cidade, mas uma rua foi afetada de maneira bem particular: A Bernauerstr.
Essa rua foi cortada pelo muro de modo que metade dela ficava do lado Ocidental e a metade depois do numero 50 ficava do lado Ocidental. O número 48 ficava bem na divisa e, apesar dele pertencer ao lado Oriental, tinha uma entrada pelo lado Ocidental. A sra Ida morava nesse prédio sozinha e, todos os dias, ia visitar sua irmã do outro lado. Até que um dia, a polícia lacrou as saídas e começou efetivamente a divisão. Impedidas de cruzar a barreira, muitas pessoas escaparam pelas janelas, com cordas ou pulando, enquanto os bombeiros do lado Ocidental tentavam resgatá-las. No dia seguinte à proibição, a sra Ida foi até a janela do seu apartamento no 3 andar, jogou seus pertences e pulou. Ela foi a primeira fatalidade causada pelo muro.

marcação no chão de onde ficava o muro
A divisão da cidade pelo muro também teve um efeito nas linhas de transporte da época, já que algumas linhas saíam da Berlim Ocidental e cruzavam pela Oriental, antes de retornar. Essas linhas continuaram funcionando, mas elas não podiam mais parar nas estações do lado Oriental. Criaram-se assim as "Estações Fantasmas", onde os trens apenas diminuíam sua velocidade mas não paravam e apenas guardas vigiavam o local para evitar fugas pelos túneis. Uma dessas estações é a Nordbanhof e existe uma exposição com fotos na estação falando sobre esse tema. O curioso é que nem só os cidadãos comuns tentavam fugir, mas também os guardas. Por isso criaram-se barreiras também dentro das estações para tentar evitar esses episódios.
 
Prédio do Memorial
 Atualmente, apenas pequenos trechos do muro encontram-se preservados e estão abertos à visitação, como esse que fica no memorial do muro, mas enquanto se passeia pela cidade é possível cruzar por marcações no chão que mostram os locais onde ele estava.
 Além do memorial a céu aberto, é possível também visitar o prédio que fica em frente, cuja entrada é gratuita, e que possui muitos documentos, fotos e vídeos da época. O vídeo que mostra o dia da queda muro é de arrepiar. Impossível assistir e não se sentir tocado. Pegando o elevador até o terraço, consegue-se ver um pequeno trecho do muro que não é aberto a visitação e que foi preservado exatamente como era, com todos os seus bloqueios e torre de vigia.

Escultura da Reconciliação

  Ainda na mesma região, ficam a capela da Reconciliação e a escultura da reconciliação. Bem na "faixa da morte" do muro ficava uma capela protestante que tornou-se inacessível devido à sua localização e acabou sendo, posteriormente, demolida. Com a reunificação, uma nova capela foi construída sobre as fundações da antiga. Em frente à ela fica uma escultura belíssima de Josefina de Vasconcellos. Existem cópias dessa escultura em locais que foram profundamente afetados pela Segunda Guerra, como Hiroshima e Berlim.


Como Chegar:

É só pegar o M10 (bonde) ou o S1, S2 ou S25 (trens) e descer na Nordbanhof. Por ali, pode-se começar a visita pela exposição sobre as estações fantasmas e ir caminhando por toda a parte do memorial, que fica a céu aberto.

Quanto Custa?

O passeio é gratuito. Todos os pontos que foram descritos aqui permitem livre acesso.

Horários

O prédio fica aberto de Segunda a Domingo de 08h às 22h.
A parte a céu aberto pode ser visitada sem restrição de horários.

Quantos joinhas da Carolina merece esse passeio?

 

Para quem curte história esse passeio é impactante. É muito fácil de chegar, gratuito e todo o material está soberbamente preservado e categorizado. Recomendo separar pelo menos uma tarde ou uma manhã para poder passar por todos os pontos de interesse com calma.
E você? Já visitou o muro de Berlim? O que achou? Conta para gente! Não se esqueça de assistir o vídeo que mostra nossa visita por lá e fiquem ligados que toda semana tem vídeo e post novo.
Até semana que vem!